Colégio Acreano chega aos 83 anos

No dia 17 de julho de 1933, era inaugurado o Ginásio Acreano, que com o passar de alguns anos, tornou-se o atual Colégio Acreano, que completará 83 anos no próximo domingo, uma das instituições públicas mais tradicionais e de maior importância do Estado do Acre.
A criação da escola até os dias de hoje é uma referência para educação acreana, pois seu planejamento ocorreu quando o país passava por várias transformações políticas e econômicas do governo provisório de Getúlio Vargas. A educação, nesse período, visava apenas formar trabalhadores para a sociedade emergente e mão de obra especializada.
Com a grande contribuição de diretores, com seus esforços, determinação e comprometimento com a educação como Raimundo Gomes de Oliveira, o popular “Raimundo Louro” e Elais Meire Eluan, que mesmo com as dificuldades da época e distância para se conseguir instrumentos para a formação, conseguiram avanças para educação local, tornando um colégio modelo, tendo o próprio Raimundo dirigido a escola por mais de 30 anos.
Raimundo Gomes (“Raimundo Louro”)
O professor Raimundo Gomes de Oliveira, mais conhecido como o mestre ‘Raimundo Louro’, faleceu aos 88 anos. Durante 33 anos ele foi diretor do Colégio Acreano. O educador nasceu em 24 de maio de 1924, em Capanema, cidade do Pará. 

Ainda criança, mudou-se com a família para Sena Madureira. Lá, iniciou sua carreira no Ensino em 1950 e a estendeu brilhantemente até o ano de 1999. 

Professor Roger Corrêa, vereador e ex-professor do colégio conheceu o educador.

“Sentimos muito sua perda. Ele contribuiu bastante e foi uma pessoa que inspirou vários professores. Foi um grande educador e todos que passaram pelo Colégio Acreano só têm a agradecer e dizer que ele fez da educação a sua razão de viver” disse Roger.

Raimundo Louro passou por várias escolas e se empenhava ao máximo pelo trabalho.
“Ele se dedicou a vida inteira. Morava praticamente no colégio. Tinha hora para chegar, mas não tinha para sair. Ficamos felizes pelo trabalho que ele deixou e, ao mesmo tempo, tristes com a sua perda”, afirmou o professor.

A professora e vereadora Rose Costa que também foi diretora afirmou que vários profissionais buscaram inspiração em Raimundo Louro.

“Muitas pessoas foram diretores de escolas se espelhando na gestão do professor Raimundo. Foram vários anos de dedicação, fazendo a grande diferença e contribuindo bastante para educação”, concluiu Rose.

Elais Meire Eluan

Hoje aos 98 anos de idade, a professora aposentada, Elais Eluan reside mais distante da cidade em uma chácara, onde tudo lhe serve de inspiração. Vivendo com o filho, nora e netos.

Nascida em Xapuri, aos onze anos, foi enviada para o Colégio Santa Doroteia, em Manaus, internato onde permaneceu durante uma década. Lá teve aulas de pintura, desenho, caligrafia e bordado. Ainda, na capital amazonense, aprendeu contabilidade e desenho arquitetônico.

Além de desenho cartográfico, o que lhe foi muito útil quando retornou ao Acre e recebeu a missão de confeccionar o primeiro mapa do estado. Em Xapuri, foi coordenadora do Instituto Divina Providência e presidente da LBA. Na capital, diretora e professora do tradicionalíssimo Colégio Acreano.
Como educadora, guarda princípios firmes e respeitosos: “Meus pais não gritavam comigo e eu nunca disse para um aluno calar a boca. Acho isso feio. Quando um aluno perturbava a aula, eu simplesmente silenciava e, com calma e educação, ficava olhando para ele, até que percebesse a situação que estava causando”, relata. E continua: “Ninguém merece nota zero. Se o aproveitamento está ruim, é preciso questionar a didática e o que está acontecendo com aquele estudante. Os problemas de família atrapalham muito”, ensina.
Cultura e modelo
O Colégio Acreno sempre foi conhecido por ser modelo em todas as áreas em que disputava, fosse nos torneiros esportivos ou nos segmentos de cultura, como a fanfarra do acreano.
Durante longos anos o colégio recebeu o titulo popular de escola modelo, pois foi a primeira a implantar línguas estrangeiras, como francês, alemão e inglês. Além de ser um dos primeiros institutos de ensino a adquirir um piano e lecionar aulas de música.
Ex-alunos
O colégio Acreano foi responsável n a formação de muitas figuras publicas no Estado do Acre, como o jornalista Edvaldo Souza, senador Jorge Viana, governador Tião Viana, engenheiro e advogado Ricardo Eluan entre outros.
Para Rosangela Coelho Eluan, o colégio é uma mistura de sua formação e de sua família.

“Lembro da disciplina que o colégio pregava e ensinava. Minha mãe quando veio do Jordão para Rio Branco, foi minha professora e de meus irmãos. A dona Almira Coelho era jogo duro. Com alguns anos após se aposentar, ela juntamente com meu irmão, Manoel Coelho, adquiriram a cantina do colégio até a retirada da mesma. Um tempo que deixou saudades” destaca Rosangela.

Comentários