Desempregados de empresa de ônibus buscam ajuda com vereadores

Victor Augusto

Representantes dos quase cem demitidos da empresa Auto Viação Floresta, empresa de ônibus que presta serviço de transporte publico em Rio Branco, buscaram ajuda dos vereadores.

Uma comissão de dez pessoas esteve reunida com os vereadores de Rio Branco, em busca de uma solução para seus problemas. A empresa de ônibus Auto Viação Floresta demitiu quase cem funcionários, sem os benefícios e direitos trabalhistas.

“Estamos desesperados, pois nos forçaram a assinar as demissões por justa causa, sem terem nos notificado. Aqueles que foram demitidos com o acesso aos direitos trabalhistas, foram enganados, pois na busca do FGTS, nada havia sido depositado e ao buscar o sindicato, fomos ameaçados de represália, caso buscássemos ajuda dos vereadores e principalmente do vereador Manuel Marcos (PRB)” disse Mayker Santos.

Os demitidos ainda informaram que a empresa não faz o pagamento em conta dos cobradores e motoristas para não pagar as despesas trabalhistas, além de acusar a empresa de realizar um desvio financeiro e adulterar o número de catracadas.

O vereador Roger Corrêa (PSB) orientou que a Comissão do Transporte Publico da Câmara realizasse uma reunião com o prefeito, empresa e sindicato. E de imediato, que os demitidos buscassem o Ministério Publico do Trabalho.

“Estou me colocando à disposição como advogado para auxiliar no que for necessário para ajudar. Como alguns colegas de parlamento já informaram e estarão reunidos com o prefeito e demais representantes, vamos buscar encontrar um melhor entendimento e garantir que essas famílias tenham seus direitos assegurados ou que retornem ao trabalho, pois essas demissões não são justificadas” destacou Roger.

Os vereadores Raimundo Vaz (PR) e Marcelo Jucá (PSDC) endureceram a conversa, afirmando que a Câmara ao aprovar a isenção, uma das garantias era que os cobradores e motoristas não fossem demitidos, pois já estava contabilizado e assegurado a permanências dos mesmos.

“Os empresários sempre querem ganhar em cima dos trabalhadores e da população. Eles esquecem que está Casa ao aprovar essa isenção, deixou claro que se existisse a quebra desta e outras clausulas, iriamos derrubar o beneficio. São pais e mães que estão na rua e enganados. Não iremos permitir esse tipo de manobra e chamar o MPE para verificar essas denuncias que nos foram feitas” enfatizou Vaz.


Tentamos contato com representantes da empresa pelo telefone 3302-6030, mas ninguém foi localizado para responder sobre a situação. 

Comentários