sábado, 29 de abril de 2017

Manuel Marcos fala da experiência de ter estado à frente da prefeitura

O presidente do parlamento municipal, vereador Manuel Marcos (PRB) durante a ausência do prefeito Marcus Alexandre (PT) e da vice, Socorro Neri (PSB) assumiu a direção da prefeitura de Rio Branco.

Durante essa semana que passou, o vereador Manuel Marcos deixou a Câmara de Rio Branco para assumir a prefeitura. Enquanto esteve como prefeito em exercício, o parlamentar participou de agendas da educação, de obras da cidade entre outras ações, além de conhecer um pouco mais o executivo de maneira interna.

“O trabalho que o prefeito Marcus Alexandre vem desenvolvendo mostra que estamos no caminho certo em buscar uma cidade melhor e mais organizada. Como prefeito em exercício pude notar que se Rio Branco tivesse um time de assessores e secretários que compõem a administração publica há alguns anos atrás, nossa capital estaria ainda mais a frente de seu tempo. Ao voltar para a Câmara, irei conversar com nossos vereadores para que possamos ajudar cada vez mais com a administração e onde poderemos juntar forças para ajudar mais a nossa população”, disse Manuel.

O vereador ainda se disse fascinado com o ritmo que os projetos são desenvolvidos pela prefeitura e como as indicações dos vereadores tem ajudado na administração municipal e ajudado comunidades mais distantes do centro urbano.

“Tive a curiosidade de saber como está o encaminhamento de nossas indicações. O prefeito demonstra ser comprometido e democrático, pois atendendo aos pedidos das bases e da oposição. Pedido de melhorias em ramais tem feito diferença, isso revela que nosso parlamento tem produzido muito e a prefeitura tem acompanhado essas indicações. Acredito que Rio Branco é e será uma referencia para os demais municípios acreanos”, destacou Marcos.


Com a volta do prefeito e da vice, Manuel Marcos volta na próxima semana a assumir o parlamento municipal e conversará com demais vereadores de como podem melhorar a qualidade das indicações e onde podem concentrar apoio. 

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Rio Branco sedia maior evento de companheirismo

A capital acreana sedia a 37ª Conferência Distrital de Rotary Internacional no período de 20 a 23 de abril.

O evento é realizado pela governadoria do Distrito 4720, o maior distrito de Rotary do mundo, onde o Acre é um dos seis Estados da Amazônia a compor. Ao todo são cinquenta clubes de Rotary a participar do encontro que envolve qualificação, troca de experiências e muito companheirismo com afirma a coordenadora distrital, advogada Elaine Ruiz.

“É uma imensa satisfação apresentar e receber mais uma vez os companheiros de Rotary, Casa da Amizade, Rotaract e Interact para essa troca de conhecimento, oxigenação entre as gerações de companheiros e fortalecer os laços por meio do companheirismo, que é uma das principais bandeiras do Rotary”, disse Elaine.

Para a governadora de Rotary da Amazônia do biênio 2016-2017, Lucy Queiroz, o encontro também serve para troca de informações profissionais e estabelecer praticas a serem adotadas pelos clubes.

“Aqui se encontram quase duzentas pessoas entre jovens estudantes até profissionais consagrados em suas áreas de atuações, onde podem realizar troca de informações e abrir negociações. Conseguimos reunir no evento uma mini exposição do nosso artesanato, comidas regionais entre outros, com a participação de pessoas que também realizaram cursos de profissionalização oferecidos pelo Rotary em parceria com a Casa da Amizade. Movimentamos o comercio local e incentivamos o turismo”, destacou Lucy.


O Rotary é o maior patrocinador e erradicado da vacina contra a paralisia infantil em todo o mundo, além de outras bandeira como acabar com a fome, desigualdade social e um mundo onde todos possam viver em paz.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Moda da corrupção

Já não é mais novidade para ninguém que nosso rico Brasil vem sendo roubado há anos e somente agora descobrimos quem de fato conduzia o país. Entre pão com mortadela e coxinhas, o brasileiro se rebela, fica sem rumo e até anestesiado sem saber para onde olhar.

O povo foi às ruas se manifestar contra uma presidência corrupta, o povo foi à rua reclamar da corrupção no Brasil, o povo foi à rua reclamar dos maus políticos e ele também foi à rua falar mal do jogador do São Paulo por ter admitido uma culpa durante a jogada. Rodrigo Caio pegou bronca da torcida e da equipe que ironizou “minha mãe não iria gostar de eu ter feito algo errado”. Oi?

Cobramos mundos e fundos pelas promessas de colocarmos pessoas corretas na politica, mas em um jogo de futebol, nós podemos fingir que não vimos e deixar o outro se prejudicarem. Onde erramos? Cadê o mesmo pensamento da educação que tínhamos e queremos passar aos nossos descendentes em sermos justos, honestos, corretos e honrar nossos pais?

Não é só o homem quem está perdido na arte da conquista, mas a humanidade está perdida desde o roubo da primeira tora de pau-brasil que levaram para Portugal até a institucionalização do ”rouba, mas faz”. Estamos sedentos para cobrar a culpa do outro e deixamos de olhar para as estacas fincadas em nossos olhos. Seu filho roubar o próximo é coisa normal? Sua filha apanhar de cafetão porque acha à prostituição uma vida fácil é a coisa mais comum?

O respeito ao próximo ficou na calça do passado e foi lavada com egocentrismo. Estamos mais interessados na farinha do nosso pirão do que em saber se o outro está bem, se podemos viver bem. Só lembramos do outro quando NÓS precisamos, se não precisamos, a gente finge que não conhece e segue adiante até o próximo vento que precisaremos do outro.

É muito mais fácil criticar pessoas que não fazem coisas que me beneficiem, do que contribuir e somar com quem deseja crescer no coletivo. Precisamos aprender a crescer e nos tornamos pessoas melhores e não só quando a morte bater na nossa porta, quando for demitido, quando estiver passando fome e tantos quantos forem utilizados para definir nossa vida lascada.


Deixemos o marketing pessoal de lado e voltemos a trabalhar as coisas simples que nos enobrecem e que os filmes da Marvel sejam nossa lição de vida e não só frase de efeito para os personagens que gosto. “Não se torne aquilo que te fizeram” mude e seja o melhor em valores nobres, respeito e humanidade. Tenha uma boa convivência e seja bom!

domingo, 16 de abril de 2017

Bastidores da imprensa

Debaixo do tapete

As delações que vem ocorrendo dos ex - executivos da Odebrecht vem causando grande alvoroço por todo o país. Mesmo com a distância de há ano para as eleições presidenciais, os possíveis candidatos estão cada vez mais chamuscados na intenção de votos da população. No Acre não poderia ser diferente. A medida que as delações são exibidas, as possibilidades de candidaturas estão mais para 2022 do que 2018. É muita sujeira debaixo desse tapete.

Coisas do Acre

Dentro desse bafafá que se desenrola o novelo que liga os pontos da corrupção, dois dos políticos mais reluzentes da constelação petista são citados e acusados. O episodio vem diminuir o brilho dos irmãos Vianas que começava a subir na aprovação dos eleitores, mesmo diante de tanta incoerência para uma gestão que sabia das contratações irregulares e após demissão em massa de profissionais, insiste em nomear assessores especiais. Deve ser um projeto bem especial.

Coisa feia


Em meio à denuncias de corrupção, deveria ser feito um levantamento dos calotes que partidos políticos tem dado em empresas que prestaram serviços das últimas campanhas e até o momento não honraram seus compromissos. As produtoras que trabalharam para tucanos no último período eleitoral ainda estão aguardando o seu pagamento. O trabalho foi feito, por favor, PAGUE.




Mal gosto


A reportagem do caso Bruno Borges, “o menino do Acre” poderia ter encerrado apenas com uma novidade a respeito dos áudios que o rapaz fala de experiências espirituais. Mas a globo peca mais uma vez no seu sensacionalismo ao querer provocar um preconceito a doutrina do Daime, religião que surgiu no Acre e se espalhou pelo mundo. Desde 2016 a Ayahuasca é reconhecida e utilizada no Brasil e em outros países. Faltou uma apuração mais rigorosa.

sábado, 15 de abril de 2017

Coreia do Norte lança “peido de velha”

Voou e morre na praia

A Coreia do Sul comunicou que a Coreia do Norte assim como o Vasco tentou, sem sucesso, lançar um míssil de longa distancia nesta noite. O arsenal atingiu o mesmo objetivo do time e caiu na costa.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Tempos de me deixar em paz

Eu sempre acreditei nas historias de ser um líder naturalmente, nas outras pessoas, mas nunca achei que seria comigo, porém as coisas acontecem. Desde sempre participei das coisas, nunca tive a intenção de ser o líder ou presidir instituições e a galera sempre me confiou conduzindo aos cargos.
Para Victor Augusto, títulos são meras formalidades hierárquicas, pois não o envaidece, não o enriquece, não se sente eterno, pois sabe que no final tudo passou e acaba debaixo da terra. Mas se sente incomodado com a necessidade das pessoas que não gostam dele em ficar sabendo de sua vida para inventar coisas.

Ninguém é obrigado a nos amar ou gostar da gente, mas os que não sentem nada disso por minha pessoa, por favor, me deixe em paz. Eu conquistei minhas coisas com meu esforço, sem precisar derrubar ninguém ou depender de alguém por indicação de terceiros.

Os que se sente incomodados devem parar de inventar estórias distorcidas pelo simples fato de não gostarem de mim. Vocês poderiam focar suas energias e pensamentos para que desse certo os cargos que vocês ocupam e que já ocupei, e nem por isso faço questão de reaver ou voltar a ocupar. Já dei minha contribuição e só me interessa seguir vivendo. Vivam suas vidas e não a minha.


Não somos amigos, não nos falamos a não ser por educação, mais educação da minha parte do que da sua. Eu conheço minha historia de vida e não preciso que ninguém fantasie ela para os outros. Se for necessário tomar decisões mais pesadas, não me esquivarei de fazer. Eu sei muito mais coisa da vida dos outros, do que eles da minha e nem por isso sinto a necessidade de expô-los. Apenas me respeite no mesmo tamanho que respeito. Quando sou bom, eu sou bom. Mas quando eu sou ruim, eu sou EXCELENTE!

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Câmara de Rio Branco debate Carne Fraca

Por meio de requerimento de autoria do vereador Artêmio Costa (PSB), a Câmara de Rio Branco realizou na manhã desta quarta (05) uma sessão solene, destinada a falar a respeito da operação Carne Fraca e como ela impactou o mercado acreano.

Para explanar a respeito do assunto, o presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Acre (Faeac), Assuero Veronez foi convidado e apresentou dados importantes a respeito do desenvolvimento da pecuária e dos produtores.

“Convidei o Assuero para falar a respeito dos impactos que a operação causou no mercado acreano, uma vez que não se dimensionou o estrago que causaram com anúncios irresponsáveis na mídia”, disse Artêmio.

Assuero falou que o impacto afetou todas as estruturas da cadeia produtiva e que precisa de uma atenção do poder publico.

“A operação foi válida para verificar uma situação, oportunizou que pudéssemos cobrar maior fiscalização e lamentamos que tenham gerado um desgaste desnecessários para toda nossa produção. Os anúncios geraram desvalorização na compra e outros países querem comprar conforme o valor que eles acham interessante. O Acre o que mais afetou foi o pequeno produtor, mesmo com o Estado exportando para outros estados. O que não nos desvalorizou mais e permitiu a competitividade, foi a qualidade da nossa carne e a ausência de aftosa na região”, declarou Veronez.

Mamed Dankar (PT) já esteve a frente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf) e disse que diversas são as dificuldades para ajudar a alavancar as politicas de produção, pois falta incentivos ou pautas encontram-se trancadas na esfera federal.

“Conheço a luta do produtor acreano e as politicas publicas são realizadas à medida que o parlamento federal libera recursos e auxilia nas ações. Avançamos muito com a eliminação da aftosa no Estado e muito ainda pode ser feito, desde que junto com outros poderes possamos nos unir na causa”, afirmou Dankar.

Emerson Jarude (PSL) disse que o momento pede para que o poder publico acreano reconheça que errou no modelo de florestania e passe rever a maneira de investir na produção local.

“O governo precisa assumir que errou na implantação do modelo de florestania, que nem preservação ele mesmo consegue realizar e reconhecer, e passar a enxergar com outro olhar a maneira de investir nessa cadeia produtiva e possibilitar a expansão da competitividade da venda da carne acreana”, frisou Jarude.

O líder do PT na Casa, vereador Rodrigo Forneck (PT) propôs que se debatesse o tema em uma audiência publica, pois apresentasse dados e cobra a participação de outros poderes.

“A pauta era falarmos da Carne Fraca e nos desviamos um pouco do assunto, para trabalhar melhor esse debate, proponho que a Câmara puxe as discussões e convide a população para que possa também entender o que foi colocado pelo presidente e esclarecer que o modelo adotado no estado não falhou, mas que vivemos tempos difíceis em todo o país”, destacou Rodrigo.

Agronegócios e vendas

O episodio da Carne Fraca pegou não somente o setor de carne de surpresa, mas de todo o agronegócio brasileiro que tem sustentado o país nos últimos anos, capacidade de tecnologia e crescendo diferente dos demais setores deficitários.

A grande representatividade de exportação do Brasil se deve a exportação e comercialização internacional. Carnes de origem suína, bovina e frango representam 7%, um faturamento de mais de U$13 milhões. No Acre a pecuária iniciou-se na década de 70 por conta dos fatores favoráveis a implantação. O Estado enfrenta dificuldades na questão de logística, onde o frete acaba saindo por um valor diferenciado se comparado aos demais estados produtores, gerando uma competitividade diferente da produção do sul, embora a carne acreana seja de uma produção totalmente pura devido o gado local ser criado em pasto, uma vez que não existe a produção de grãos.

Produtores sentem dificuldades nos períodos de seca, que precisam importar a ração, que acaba dando um sabor diferente do original, alterando mesmo até a produção da bacia leiteira.

No Acre a mídia negativa e até exagerada a respeito de denuncias acabou afetando a todos, desde o pequeno produtor que agora passa a vender com menor oferta e valor. Um boi saia por R$850 hoje sai a R$600, onde a venda saia em media a 10 por mês, caiu para menos da metade, embora continuem exportando.

Mesmo com as relações reabertas com outros países, o produtor enfrenta a barganha inferior dos exportadores, pois acabam negociando e pagando o valor que lhes é conveniente e não valorizando uma produção boa, de qualidade e com certificação de isenção de qualquer doença. 


A Federação de Agricultura e Pecuária tem lutado para oferecer produtos de qualidades e realizar negociações que continuem fortalecendo o setor, sem se deixar abater com as restrições e “choro” dos compradores. Fato esse que é um dos setores que movimenta todo o Estado nas duas regiões, no Baixo Acre  e no Alto Acre com as feiras agropecuárias.

Fonte: Acre em Revista (www.acreemrevista.com.br)

sábado, 1 de abril de 2017

Campeonato de férias se aproxima das semifinais

O 34º Campeonato de Férias realizado no campo do Calafate se aproxima das semifinais. Neste sábado (01) a disputa foi entre Atlético do Baixadão e Vila Nova do Bujari. Para o coordenador da competição, Oseias Reginaldo os times recordam os jogadores dos anos noventa.

“O nível de jogo desses garotos nos recorda muito os competidores dos anos noventa. Nessas finais sempre tem tido um município do interior e parece que o Bujari vem na intenção de levar o titulo. Vamos aguardar o resultado dos próximos jogos”, disse Oseias.

A disputa foi bem acirrada e os times não abriam espaço para um gol. Já no primeiro tempo a partida foi suspensa por cinco minutos devido um torcedor insatisfeito com os árbitros tentar agredir o bandeirinha. Um pena para o esporte e um péssimo exemplo para as famílias que vão assistir aos jogos. Coube a esposa do torcedor intervir e retirar o marido e o filho de campo.

No segundo tempo as coisas pareciam que iriam virar, mas tudo não passou de muitas faltas, arengas entre os jogadores e finalizou no zero a zero.


No próximo dia 08 às 15h acontece a semifinal entre Cruzeiro do Tangara e JBS.