terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Salário mínimo passa de R$ 724 para R$ 788 a partir de 1º de janeiro

Foi publicado nesta terça-feira (30) no “Diário Oficial da União” decreto presidencial que reajusta o salário mínimo para R$ 788 a partir do dia 1º de janeiro de 2015. O novo valor representa reajuste de 8,8% sobre o salário mínimo atual, de R$ 724.
De acordo com o decreto, o valor diário do salário mínimo corresponderá a R$ 26,27 e o valor horário, a R$ 3,58.
O valor do salário mínimo é calculado com base no percentual de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do ano retrasado mais a reposição da inflação do ano anterior pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).
Em agosto, quando foi apresentado o Projeto de Lei Orçamentária elaborado pelo governo, o salário mínimo determinado era de R$ 788,06. Segundo a assessoria da ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, na ocasião, o impacto do aumento do salário mínimo nas contas públicas, com o pagamento de benefícios, seria de R$ 22 bilhões em 2015.
com informações do G1

MPAC entrega premiação aos vencedores do 5º Prêmio de Jornalismo

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) reuniu parceiros e vencedores da 5ª edição do Prêmio de Jornalismo, nesta terça-feira (30), para a entrega da premiação em dinheiro aos jornalistas que produziram os quatro melhores trabalhos.

Nesta edição, os vencedores foram a jornalista Débora Ribeiro (TV Acre), que ficou em primeiro lugar com uma reportagem sobre lixo hospitalar armazenado em banheiro de posto de saúde na cidade de Bujari; Lindson Almeida (Rádio CBN) obteve a segunda melhor avaliação com uma matéria sobre o MP na Comunidade; Resley Saab (Jornal A Gazeta) também sobre o MP na Comunidade, onde frisou o caso de uma senhora de 67 anos que adotou uma mulher de 44 anos vítima de tortura; e Anne Moura (Amazon Sat) no Destaque Acadêmico, sobre edições do MP na Comunidade.

“O lado mais importante é o reconhecimento do trabalho da gente. É bom saber que fizemos a denúncia e o Ministério Público interveio no caso. A matéria não foi trabalhada para prêmio, simplesmente recebemos a denúncia de lixo acumulado no banheiro do posto de saúde do Bujari e trabalhamos o caso”, disse a jornalista.

Para o procurador-geral de Justiça Oswaldo D’Albuquerque Lima Neto, a matéria vencedora tem tudo a ver com o Ministério Público pelo benefício que levou à população de Bujari. “Foi um material de cunho social fantástico e trouxe melhoria à comunidade daquela cidade”, disse.

Na ocasião, o procurador-geral agradeceu aos jornalistas pelo empenho nas matérias produzidas e destacou a importância da imprensa para o Ministério Público, principalmente, ao divulgar as ações da instituição que ajudam a aproximar os serviços da comunidade acreana.

“A imprensa é parceira não somente para publicar essas ações boas, mas para nos criticar onde não estamos atuando da melhor forma. Isso tem contribuído para o desenvolvimento das nossas atividades. As críticas construtivas nos fazem melhorar para prestarmos um serviço de qualidade à população”, disse o procurador-geral de Justiça.

O Prêmio de Jornalismo foi criado em 2010 e é coordenado pela Assessoria de Comunicação do Ministério Público. O objetivo é estimular, divulgar e prestigiar os trabalhos jornalísticos veiculados na imprensa sobre a atuação da instituição, além de contribuir para o melhor entendimento, pela sociedade e pelo poder público, sobre a importância das atividades e da função social do Ministério Público. O prêmio é patrocinado pelo Banco do Brasil.

“O Banco do Brasil atua um pouco além da sua atividade principal, que é a intermediação financeira. Ele interage com a comunidade e, por meio dessas parcerias, o banco procura reconhecer e premiar iniciativas que possam trazer inovações e melhorias para a comunidade onde estamos inseridos”, disse o superintendente do Banco do Brasil Marcolino José de Zorze Rodighero.

Foram agraciados seis jornalistas com as melhores reportagens, independente de categoria, mas a premiação em dinheiro foi para aqueles que alcançaram a melhor nota na avaliação dos jurados, na classificação de primeiro, segundo e terceiro lugares e destaque acadêmico. Os demais vencedores receberam troféus, tablets e iphone 5 (doados pela CCom Shopping e OI Empresa de Telecomunicações).

“Me formei três dias após a festa de premiação. Percebi que, com esse prêmio, eu posso me dedicar mais, não somente sobre o Ministério Público, mas com outras instituições que fazem trabalhos tão bonitos quanto o do Ministério Público”, comentou a jornalista Anne Moura, premiada no Destaque Acadêmico.

Participaram da cerimônia ainda, a presidente em exercício da Associação dos Membros do MPAC (Ampac), promotora de Justiça Joana D’arc Dias Martins e o representante da Associação dos Servidores do MPAC (Assempac), Jânio Jerônimo.

“Todos os trabalhos, mesmo os que não alcançaram as primeiras classificações, foram brilhantes. O Prêmio de Jornalismo é uma oportunidade incrível para os profissionais da imprensa mostrarem a função social do Ministério Público”, comentou a promotora de Justiça Joana D’arc Dias.

A solenidade este ano teve como slogan ‘O esporte como fator de inclusão social’, em alusão à Copa do Mundo 2014, realizada no Brasil, e também aos Jogos Olímpicos do Rio, que serão realizados em 2016.

De pirataria a formalização


Victor Augusto (Agência Ideia)


“...Todo dia ela faz tudo sempre igual / Me sacode às seis horas da manhã / Me sorri um sorriso pontual / E me beija com a boca de hortelã...”

Você deve está achando estranho iniciarmos esse relato com uma música de Chico Buarque, mas foi assim o primeiro contato com Francisca Sirqueira da Silva, popularmente conhecida como Kinha, proprietária da Barraca da Kinha, localizada nas mediações do estacionamento do estádio Arena da Floresta.

Com boa música e um sorriso no rosto, ela vai recebendo os clientes que aos poucos vão chegando para se alimentar ou de passagem só para bater um bom papo. Além de oferecer suas guloseimas gastronômicas, Kinha também oferece ombro amigo.

Pirataria

Mas até chegar a esse ponto, Francisca Sirqueira ralou muito, pois ela e seu marido, Fernando Roberto da Silva estavam desempregados e com dois filhos para criar, a Maria Eduarda de 12 e o Fernando Júnior de 7. Não encontrando serviço, ambos recorreram para a informalidade, no caso a pirataria de CDs e DVDs, onde tiravam por dia um valor de R$120,00. Mas havia o problema da fiscalização, que sempre geravam aquele corre-corre.

Não querendo passar por esse “aperreio” Francisca e o marido decidiram mudar o ponto de venda e passaram a comercializar na Avenida Amadeu Barbosa, onde havia grande fluxo de pessoas passando para suas caminhadas ou lazer entre familiares e amigos. Até que um dia a fiscalização apreendeu todos os produtos.

Venda de cocos

“Foi uma situação muito difícil para-nos, a primeira coisa que me passou foi como iria ter o dinheiro da alimentação do outro dia. Mas sempre tive uma fé e vendo aquela situação, um senhor nos consolou e perguntou por que não vendíamos água de coco?! Eu disse que nem coqueiro tínhamos, ele ofereceu os cocos e um jogo de mesa” disse Kinha.

A partir dai Kinha e o marido começaram outro tipo de renda, com a venda dos cocos doados, as pessoas que também usavam a via passaram a desejar outras coisas. Aos poucos Kinha foi oferecendo sanduiche natural na semana e rabada aos finais de semana. Com o crescimento da freguesia, Kinha teve que buscar novas acomodações. Kinha ganhou do mesmo senhor dos cocos uma barraca e queria saber quem era aquele anjo.

“Eu mês questionei como um senhor que não nos conhecia se colocava tão a disposição, quando lá descobrimos se tratar do senhor Bené do Cavaco. Sou muito grata a ele, que até fiado nos fazia em sua distribuidora” destaca Fernando.

Empreendedor individual

Kinha ficou sabendo do empreendedor individual e dos benefícios, onde buscou saber mais pela internet e o 0800 570 0800 da entidade. Não satisfeita procurou a sede e obteve outras informações e possibilidades de cursos que foram apresentados durante as palestrar empreendedoras. E das facilidades em obter capital de giro junto aos bancos.

 “Com a minha regularização e criação da minha empresa no Sebrae, pude abrir a conta no banco e fazer um empréstimo considerável para expandir minha tenda, oferecer o serviço de cartão de crédito já que muitos não usam dinheiro com medo de assalto, contratar mais pessoas e montar uma estrutura melhor para os clientes. Agora meu próximo passo é concorrer ao Mulher de Negócio e quero trazer esse prêmio para o Acre” enfatizou Kinha.


Barraca da Kinha
Com o crescimento da clientela e do espaço, Kinha e o marido precisaram contratar uma pessoa para auxiliar. Com as novas despesas e precisando melhorar o espaço, Kinha soube sobre o Empreendedor Individual e buscou se regularizar o que permitiu que ela abrisse conta no banco, assinar a carteira de trabalho da funcionária.
Com a regularização da empresa, Kinha pode participar de grandes eventos realizados pelo Governo Estadual e Municipal, como Expoacre, Carnaval e Feiras, além de arraiais, festas de final de ano e fornecer alimentação para empresas privadas.

Segurança e lado social

Kinha fala que além de vender seus produtos, ela também ajuda quem precisa, sempre que aparece uma pessoa necessitada, ela oferece o que comer.

“Não posso negar o direito de uma boa refeição aqueles que mais precisam, trato todos como iguais, o mesmo cuidado que dou para quem pode pagar, também uso ao servir que não tem nada. Hoje são eles, amanhã posso ser eu e não quero que ninguém me negue um prato de comida. Sei o que é você sentir fome e não ter de onde tirar e graças a Deus, nunca faltou para nossa família” disse Kinha.

Com os constantes roubos de cobra na cidade, a Avenida Amadeu Barbosa também foi alvo dos ladrões, o que também inviabilizava a venda de seus produtos. Ela e o marido passaram a adotar um sistema próprio de segurança, onde decidiram abrir um pouco mais tarde e estender a oferta até a madrugada.

“As pessoas estavam sumindo com medo dos assaltos e decidimos tomar como nossa responsabilidade a segurança do local. Certo dia e por volta das três da madrugada, surpreendemos dois rapazes roubando os fios de energia, onde demos uma “carreira” neles, só não conseguimos detê-los e entregar para a policia, porque um grupo de pessoas desocupadas e bebendo deram cobertura para eles, mas também não voltaram mais” enfatizou Fernando.

Expediente

A Barraca da Kinha hoje possui uma combi e um carro popular que realizam o transporte dos alimentos, duas tendas, dez jogos de mesas e um cardápio diversificado. Os interessados em conhecer mais sua história e suas guloseimas podem encontrar de segunda a segunda, com exceção das quartas de folga, na rotatória do Arena da Floresta a partir das 17h.


sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Recalques do Parlamento




"... A politica é quase tão excitante quando a guerra e não menos perigosa. Na guerra a pessoa só pode ser morta uma única vez, mas na politica diversas vezes ..."
(Wiston Churchill)

Único mandato
Um recém-eleito deputado estadual de primeiro mandado nem começou a parlamentar e já anda se achando "a última bolacha do pacote". Já pratica desdenho e não esconde arrogância com a imprensa e com eleitorado. Certeza de que será só esse mandato.

São Tome
Falando em mandato, que entrevista foi aquela do ex-deputado comunista ao dizer que talvez não participasse mais da vida politica. Mesmo sem mandato, será que não cansa de fazer promessas que não vai cumprir?

Comunista em evidência
Falando em comunista, quem é referencia e se duvidar vai engolir o partido, será o vereador Fernando Martins (PCdoB) da capital, parlamentar de primeiro mandado e recordistas e apresentar indicações, onde 905 delas foram atendidas.

Politicamente incorretos
Como seria bom que os partidos acreanos com seus filiados buscassem melhorias para o Estado e não cargos dentro das estruturas estaduais e municipais. Mas cada um tem o politico que merece. Quem vende o seu voto sem vê propostas, acaba chupando dedo.

Legalização Legal
Um parlamentar que foi destaque foi o quase ex-presidente da Câmara de Rio Branco, que legalizou e arrumou toda a Casa do Povo, professor Roger (PSB). Pena que seu partido ainda exista grupos que discordam.

Patinho feio        

Roger é tido no partido como patinho feio, foi o vereador mais eleito da Frente Popular e o partido parece lhe virar as costas, mesmo seguindo a risca a cartilha. Resultado de ser bom: seus colegas e partido preferem difamar a enaltecer a sigla.

Piada pronta


segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Banco da Amazônia renegocia dívidas até final de dezembro

Com o objetivo de renegociar operações de crédito rural e não rural o Banco da Amazônia estará renegociando créditos contratados até 31/12/2008 com recursos do FNO (Fundo Constitucional de Financiamento do Norte) e em situação de inadimplência em 30/12/2012.
A resolução 4314 e 4315 de BACEN é uma oportunidade de renegociação facilitada, pois além do valor mínimo de pagamento prévio exigido, concede prazos adequados para uma readaptação de empreendimento, possibilitando um planejamento da dívida e boas condições de pagamento. Além disso, oxigena a economia trazendo o devedor a uma situação de adimplência, sem restrições econômica e financeiras, permitindo-lhes acessar novos créditos e políticas públicas de incentivo econômico e social.
Os clientes que procurarem as agências até 31/12/2014 para renegociação poderão fazer a atualização do saldo devedor sem a incidência de bônus da adimplência, rebate, multa, mora e demais encargos de inadimplemento. A amortização mínima é de 10% do saldo devedor atualizado e terá carência de 1 ano para começar o reembolso que poderá ser parcelado em até 10 anos.

sábado, 20 de dezembro de 2014

Transito lento no 2º distrito


Sábado 12:35

Acaba de acontecer um Acidente na rodovia Chico Mendes ao lado do Araújo do segundo distrito.
Carro modelo Sandero bateu em uma moto, o condutor da moto com suspeita de fratura na clavícula e o joelho bastante ralado, o SAMU foi acionado para prestar o devido socorro.

Info:

Então é natal amor

Dezembro chegou e reparei que ainda não havia exercido uma das praticas mais antigas do universo masculino, um dos quesitos obrigatórios, renováveis e sustentáveis. A cantada. A manobra de da em cima da costela de Adão e que desejos juntar a nossa, nada mais é do que uma revolução de Mao Tse-Tung.

Querem ver uma história que representa muito isso? Recordam de Hitch: O conselheiro amoroso ou de O que As Mulheres Gostam?! Existem mulheres que a gente canta no jardim da infância para dar o primeiro beijo lá pelos quatorze, quinze, e olhe lá.

Mas é necessário que a cante sempre, não aquela cantada localizada e objetiva, falo do flerte, do mimo, do regador que faz florescer, como numa canção brega, todos os adjetivos desse mundo. A cantada de resultado, aquela imediata, é uma chatice, insuportável, se eu fosse mulher reagiria com um tapa de novela mexicana, daqueles que fazem plaft!

Um bom flerte surge de dentro, surge das oportunidades e até das observações. E mais importante ainda depois que rolam as coisas, depois que acontece, aí a cantada vira devoção, oração dos pobres moços a todas elas.

Porque cantar só para uma noitada de sexo é uma pobreza dos diabos, qualquer um animal o faz. E cantar Deus, o mundo e as filhas do Raimundo com a mesma arma, é demonstrar fraqueza e falta de criatividade. Toda mulher merece seu momento, mesmo que o mais simplório gracejo. A cantada pode ser a porta das preliminares para o cinquenta tons de cinza de uma vida inteira ou até que o tesão se acabe.

Explico: é espalhar pacientemente a devoção a todas as mulheres como quem espalha sementes nos campos de lírios. Mesmo que elas digam, com aquele riso litografado na covinha do sorriso, que você diz isso para todas.

E claro que para cada uma dizemos uma loa, fazemos uma graça, não repetimos o texto, o lirismo, o floreado. Porque amamos mesmo as mulheres. Cantemos indiscriminadamente, e que me perdoe o velho e bom Vinícius de Moraes, mas cantemos sobretudo as ditas feias, esse conceito cruel e abstrato de beleza. Elas merecem, até porque as feias não existem, nunca conheci nenhuma até hoje.
Não por sermos generosos, piedade, ou algo do gênero. É que a dita feia, quando bem cantada, vira a super fêmea, para lembrar a bela pornochanchada com do Arnaldo Jabor.

A cantada permanente e indiscriminada é irresistível, quando você menos espera, acontece o que você tanto sonhava. Ter que cantar sempre a mesma mulher e parecer que está apenas de passagem, que o estribilho é sempre novo, nada de blá blá blá dos arrochados cantados em lojas.


Mostre seu lado cabra macho de ser e cante, mesmo que seja um amor de férias. E não esqueça de usar o “saquinho de leite” se avanças as etapas, porque no final de ano só podemos ter duas certezas nesta vida: O décimo terceiro acabar e você compra o novo cd da Simone!

Sindicalistas da saúde debatem projeto com vereadores

Com a sessão suspensa para receber sindicalistas nesta quinta (18), vereadores de Rio Branco debateram sobre proposta de ampliação de cargos de enfermeiros e técnicos em saúde para a capital.

A proposta é de autoria do executivo e pede aos vereadores que aprovem a ampliação de 60 vagas para técnico em enfermagem e 60  vagas para enfermeiros, pessoas concursadas que serão lotadas nos postos e hospitais de Rio Branco.

“Queremos evitar que a proposta de lei seja alterada todos os anos, desta forma estaremos abrindo mais vagas para pessoas que já participaram ou participarão de concursos. Permitindo que o município avance em pelo menos três anos de melhorias para a saúde” afirmou a secretária municipal de saúde, Márcia Alexandrina.

Para o presidente do parlamento municipal, vereador professor Roger Corrêa (PSB), a proposta é importante para ambos os lados.
“Se o sindicado disser que é bom para a categoria e puder desafogar as demandas da população ao procurar o serviço de saúde, assim como se o município afirmar que tem recursos para manter esses novos trabalhadores e os que já fazem parte da folha, acredito que todos os vereadores serão favoráveis à questão” ressaltou Roger.

O presidente dos enfermeiros e recém-eleito a deputado estadual, Raimundinho da Saúde (PTN), se sente contemplado.


“Fomos convidados pelos vereadores para falar a respeito da proposta, onde já haviam nos enviado o projeto para analisarmos e evita que vagas sejam ocupadas por comissionados, abrindo oportunidade para pessoas formadas e que estão se formando de ingressarem no mercado de trabalho. Agradecemos este respeito que o professor Roger tem dado a nossa categoria” disse Raimundinho.

Instituição de ensino sem credenciamento do MEC se compromete com MPAC a assegurar direitos de alunos

O Instituto de Educação e Ensino Superior Ebenézer assinou, nesta quarta-feira (17), um termo de compromisso de ajustamento de conduta, se comprometendo a assegurar os interesses dos consumidores dos serviços prestados por ela, em Rio Branco. O acordo foi proposto pela Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC).

De acordo com o Ministério Público, a instituição não estaria credenciada junto ao Ministério da Educação, embora faça publicidade de cursos de graduação e de pós-graduação e divulgue que possui contratos com instituições de ensino superior para a convalidação dos diplomas.

“A simples publicidade de cursos de graduação e de pós-graduação ofertados por instituição que não são de ensino superior já constitui ilícito, pois gera a expectativa no consumidor de que obterá, ao final do curso, um diploma de nível superior, o que, todavia, não ocorrerá”, pondera Alessandra Marques ao ressaltar que não existem cursos de graduação livres na instituição, como ela divulgava no site.

Ainda segundo ela, a oferta de serviço de ensino superior remunerado sem o exigido credenciamento pode implicar na prática de crime de estelionato contra cada um dos consumidores que contratam a prestação de serviço que não poderá ser ofertado.

No acordo, o MP considera que é absolutamente vedada a terceirização de atividades acadêmicas a entidades não credenciadas.

“Uma pessoa jurídica que não está credenciada junto ao MEC não pode prestar serviço de educação superior por meio de terceirização, exceto na modalidade de educação à distância, e somente para as atividades de natureza operacional e logística, em razão do ato regulatório ter natureza personalíssima”, explica a promotora.


A investigação

Um inquérito civil chegou a ser instaurado para apurar a questão. Nele, ficou comprovado que o Instituto de Educação e Ensino Superior Ebenézer atua no mercado consumidor sem credenciamento do Ministério da Educação, portanto, segundo o próprio MEC esclarece, não é instituição de ensino superior.


O acordo

No acordo, a instituição de educação compromete-se a não ofertar cursos de graduação e de pós-graduação, nem admitir novos estudantes, nem a título de rematrícula, nos referidos cursos, até que obtenha credenciamento e autorização de pelo menos um curso superior junto ao Ministério da Educação.

Também não deve exigir de seus consumidores o pagamento de qualquer quantia decorrente de contrato assinado, enquanto não possuir o devido credenciamento.

Publicidades referentes à oferta de cursos de nível superior estão proibidas e as que já existem no site da instituição devem ser retiradas.O acordo também deve estar disposto, na íntegra, no site da instituição, em destaque, informando que não se trata de instituição de ensino superior e que não oferta cursos de graduação e de pós-graduação.

Quanto ao montante pago em mensalidades por alunos nos cursos de nível superior, de graduação ou de pós-graduação oferecidos pela instituição, o valor deve ser devolvido a todos os consumidores que o requererem. Neste caso, o prazo e forma de pagamento serão convencionados entre as partes.

A instituição deve comprovar ao MPAC, por escrito, as providências tomadas quanto às alterações no site e à devolução do montante requerida por estudantes, no prazo de 30 dias

A compromissária também deve fazer a divulgação, por e-mail e escrita, a todos os seus alunos do fato de que os cursos ofertados por ela não podem ser considerados de ensino superior, enfatizando ao aluno que ele não terá direito à emissão de diploma de curso de ensino superior, mas apenas a emissão de certificado de participação.

Em caso de descumprimento de alguma cláusula do acordo, o comprissário será submetido ao pagamento de multas diárias que variam de R$ 2.500,00 a 5.000,00.

O acordo firmado não representa impedimento ao ajuizamento de qualquer ação por parte de consumidores atinentes à questão, nem inibe ou restringe ações de controle e fiscalização individuais de outros órgãos públicos.

Vereadores esclarecem lei do troco para cobradores e motoristas

A Câmara de Rio Branco vivência grande agitação no fechamento dos trabalhos de 2014, na manhã desta quinta (18), cobradores e motoristas do transporte coletivo ocuparam a galeria e as ruas do bairro seis de agosto para reivindicar a respeito da Lei do Troco de autoria do vereador Gabriel Forneck (PT) e que ainda irá para votação.

Uma comissão dos trabalhadores foi recebida pelos parlamentares, onde foi explicado ponto a ponto a respeito da proposta colocada. Para José Alberto de Sousa, membro da comissão, era necessária a conversa com os vereadores.

“Estamos cansados da maneira como alguns políticos tem tratado a classe trabalhadora do transporte coletivo, a assembleia não olha para esses pais de família e chegamos a achar que os vereadores fariam o mesmo. Mas foi através desta conversa que esclarecemos sobre a lei e também poderemos informar os usuários do transporte coletivo da capital” disse Alberto.

Para o vereador Gabriel, autor da proposta, o que faltava era sentar com os trabalhadores que também serão beneficiados com a proposta.

“Nos tentamos contato com um dos representantes dos trabalhadores para explicar como funcionaria a lei, mas não obtivemos retorno. Como eles vieram até a Casa do Povo, conseguimos esclarecer que a proposta vem para garantir os direitos dos usuários do transporte e o trabalhador que ficará assegura também pela mesma lei” destacou Forneck.

Após a reunião com os vereadores, a comissão se reuniu com os demais trabalhadores e colocou todos os pontos discutidos e esclarecidos.


Respeito é bom, mas nem todos cumprem


São atitudes como essas que me fazem desacreditar no trabalho de quem presta segurança e exige respeito. Mas como exigir respeito quando se comete a falta dele? Carro do IML em cima da faixa de segurança.

Cartâo: Boas Festas Diana Comunicação


Palestras sobre empreendedorismo e gestão, patrimônio histórico, arte e subjetividade completam a I Semana Municipal de Arquitetura e Urbanismo de Rio Branco

O terceiro e quarto dias da Semana trouxeram informações de muita relevância aos participantes, desde a gestão do escritório de arquitetura ao importante cuidado do legado histórico de uma cidade.

Ter ideias não é algo que possa ser ensinado, parte do processo criativo da mente e das referências de cada um. No entanto, o que seriam das boas ideias se não conseguíssemos transformá-las em bons empreendimentos? Pensando nesta problemática a I Semana Municipal de Arquitetura e Urbanismo de Rio Branco incluiu em sua programação a palestra “Empreendedorismo Passo a Passo”.

 “Ser um empreendedor é muito mais que ter vontade. É preciso ter coragem de arriscar alto e aprender a reconhecer e crescer com os erros”. Foi com essas palavras que a consultora do SEBRAE Adriana Pinho iniciou a palestra Empreendedorismo Passo a Passo, no auditório do Sistema Fieac, complementando o terceiro dia da Semana Municipal de Arquitetura e Urbanismo de Rio Branco.

Os arquitetos e estudantes de arquitetura presentes no evento conheceram os seis principais passos para se lançar no mundo empreendedor e, o mais importante, como obter sucesso. O aspirante a empreendedor deve identificar uma ideia de negócio, examinar o mercado, fazer um plano de ação examinando sua viabilidade, ter conhecimento da fonte dos recursos financeiros a ser utilizado e, claro, a legalização do empreendimento em questão.

Na seqüência, o minicurso “Tarefas e Responsabilidades em Escritórios de Arquitetura e Engenharia”, ministrado pelo professor e engenheiro eletricista Ênio Padilha encerrou a programação do dia. Padilha propiciou a todos a oportunidade impar de aprender um pouco sobre a responsabilidade e organização que o arquiteto e urbanista deve dedicar ao seu escritório, bem como das dificuldades comuns encontradas no mercado.

Todo o tempo do minicurso contribuiu para despertar a curiosidade dos presentes em buscar ainda mais informações sobre os temas e sua aplicação na realidade de gestão de um escritório de arquitetura.

Oficina de Patrimônio Histórico e Mesa Redonda: Cidade, Arte e Subjetividade

No teatro do Sesc centro, o arquiteto e urbanista Márcio Carvalho deu início às atividades do quarto dia da Semana Municipal de Arquitetura e Urbanismo com a ”Oficina de Patrimônio Histórico”. Com conceitos, exemplos e muita dinâmica, os participantes da oficina tiveram noções desta temática, importante e recorrente no Brasil nas últimas décadas.

Após a explanação do tema, o grupo visitou pontos urbanos turísticos da capital. O Mercado dos Colonos e Novo Mercado Velho foram observados com o olhar voltado para seu legado histórico de patrimônio da nossa cidade.

A mesa redonda com o tema “Cidade, Arte e Subjetividade” encerrou as atividades deste dia reunindo artistas urbanos acreanos como as fotógrafas Val Fernandes e Talita Oliveira, o grafiteiro Mahatma Mahá, o músico Ronnie Blues e o artista cênico Quilrio Farias.

A atividade trouxe o resumo do tema da Semana Municipal de Arquitetura e Urbanismo: Cidade e envolvimento - somos todos responsáveis pela cidade. As discussões revelaram como cada indivíduo se envolve de maneira única com as cidades, utilizando os espaços públicos para desenvolverem as mais diversas formas de suas expressões culturais e artísticas.


“Tudo que criamos é pensado e feito para as pessoas, então é imprescindível o envolvimento e a responsabilização da população para a ocupação dos espaços urbanos. Temos que levar as pessoas a se reinventarem como elemento primordial da ocupação urbana”, encerrou Márcio Carvalho. 

Justiça determina indisponibilidade de bens de acusados de improbidade administrativa em Feijó

Empresa foi contratada para realizar terraplanagem em ‘lixão’, mas serviços estariam sendo feitos por funcionários públicos com veículos do município

O juiz de Direito Flávio Mariano Mundim, da comarca de Feijó, deferiu liminar requerida pelo Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), autorizando a indisponibilidade dos bens de acusados por ato de improbidade administrativa no município. São eles: Railson de Carvalho Macedo, Cleciomar de Carvalho Souza e Cerâmica e Construtora Machado LTDA.
O município teria contratado a empresa Cerâmica e Construtora Machado LTDA. para a execução de serviços de terraplanagem no acesso ao ‘lixão’ da cidade, mas os serviços estariam sendo executados por funcionários públicos com veículos do município.
Railson Macedo é acusado de usar dinheiro público mediante a utilização de veículos e máquinas de propriedade do município de Feijó, conduzidos e operados por agentes públicos, durante o expediente de trabalho, para trabalhos de terraplanagem que o próprio requerido contratou com terceiros.
Já Cleciomar de Carvalho Souza e a Cerâmica e Construtora Machado LTDA foram acionados pela prática de enriquecimento ilícito, consistente na utilização, em obra ou serviço particular, de veículos, máquinas, equipamentos ou material de qualquer natureza, também de propriedade do município de Feijó, bem como, do trabalho de servidores públicos, empregados ou terceiros contratados pelo município.
“Os três praticaram ato consistente na ofensa aos princípios da Administração Pública previstos, tais como legalidade, finalidade pública, impessoalidade, moralidade e igualdade”, explica o promotor de justiça Fernando Cembranel.
Defiro a liminar requerida, autorizando a indisponibilidade dos bens dos réus até o limite do dano ao erário em tese indicado na inicial no importe de 59.653,39.
Um ofício será expedido ao Cartório de Imóvel de Feijó/AC para localização de imóveis dos réus e pesquisa no sistema. Os requeridos devem apresentar manifestação escrita no prazo de 15 dias, a qual poderá ser instruída com documentos e justificações.
A indisponibilidade dos bens chega até o limite do dano ao erário constatado pelo MPAC, no importe de 59.653,39.

Entenda o caso
O município de Feijó celebrou, no dia 26 de junho de 2013, contrato administrativo com a empresa Cerâmica e Construtora Machado LTDA, representada legalmente por Cleciomar de Carvalho Souza.
O objeto do contrato foi a execução de serviços de terraplanagem no acesso ao ‘lixão’ da cidade, a construção de um tanque para depósito de resíduos sólidos e cerca de arame farpado delimitando o ‘lixão’.
Já, a cláusula quarta estabelece o prazo de 45 dias para a conclusão dos serviços, a contar da data da Ordem de Início de Serviço, emitida no dia 26 de junho de 2013 (fls. 139 do arquivo PDF do processo administrativo 023/2013).
No dia 12 de agosto de 2013, a empresa requereu a prorrogação do prazo para entrega dos serviços para de 90 dias, o qual foi deferido, no dia 13 do mesmo mês e ano.
Porém, no dia 21 de setembro de 2013, veículos, máquinas e funcionários públicos do município foram flagrados realizando os serviços de terraplanagem objeto do contrato administrativo.
Por meio de inquérito civil, apurou-se que Railson, que na época exercia o cargo de diretor administrativo da Secretaria de Obras do Município de Feijó, emitiu ordens a alguns servidores da pasta para que se dirigissem até o ‘lixão’ da cidade e, entre outros serviços, transportassem terra com os veículos de propriedade do município até o lixão e realizassem os serviços de terraplanagem do local.

Feira do Peixe Natalina começa nesta sexta-feira na CEASA


A Prefeitura Municipal de Rio Branco, o Governo do Estado do Acre e o Governo Federal, realizam a 6ª edição da Feira do Peixe e da Agricultura Familiar na Central de Abastecimento e Comercialização de Rio Branco (CEASA) no período de 19 a 23 de dezembro de 2014. No dia 19, sexta-feira, a venda de peixe e outros produtos começa às 3h30 e às 7h será feita a abertura oficial com a presença do prefeito Marcus Alexandre e outras autoridades. No dia 23, haverá sorteio de uma cesta de Natal. A comercialização do pescado e de produtos hortigranjeiros terá início todos os dias às 3h30mim e vai até às 18h.

O objetivo geral da feira é promover a exposição e comercialização do pescado e de produtos hortigranjeiros a um preço acessível à população, proporcionando a melhoria da renda aos produtores, piscicultores e comerciantes.

O evento será marcado por atrações culturais como músicas regionais, apresentação de grupos de dança e outros. A feira contará também com atendimento básico de saúde, programas de assistência social, campanhas educativas de saúde e de alimentação saudável.

O público participante são os piscicultores, agricultores familiares, associações de produtores, cooperativas, empresas privadas comerciantes, atacadistas da CEASA, instituições parceiras, empreendimentos solidários e população em geral.

O evento proporcionará trabalho, renda, aprendizagem e interação entre os atores e o público envolvido. Cerca de 39 piscicultores estarão ofertando mais de 30 toneladas de pescados. Produtores familiares de diferentes comunidades estarão comercializando 80 toneladas de produtos hortigranjeiros juntamente com os atacadistas da CEASA. Na Praça de Alimentação terá disponível um cardápio variado da culinária amazônica, tendo como prato principal o pescado.

A feira contará com tendas para limpeza do peixe, tendas para expositores e Espaço Institucional, e uma tenda de atendimento básico de saúde. A comercialização do pescado será ao lado do Mercado do Produtor. Espera-se atingir um público consumidor e visitação de 25 mil pessoas e um montante de recursos financeiros na ordem de R$ 250 mil.

São parceiros o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), SEBRAE, Banco do Brasil, Banco da Amazônia, Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários (UNISOL), Associação dos Pescadores do Bujari (Pró Peixe), Hernandes Acre LTDA, RECOL, Carijó, FETACRE, CUT, Star Motos e Fórum Acreano de Economia Solidaria. “Tudo que será ofertado na Feira do Peixe e Agricultura Familiar é produzido no Acre, por isso é mais fresquinho”, disse o coordenador do evento, Paulo Sergio Braña.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Planejamento Financeiro das PME´s para 2015

Você já definiu o Planejamento Financeiro da sua empresa para 2015?
Sabe o quanto precisa faturar para pagar a operação do seu negócio no próximo ano?
Quanto precisará investir em marketing e vendas?
Depois de um ano atípico como foi o ano de 2014, 2015 reserva uma boa dose de incertezas sobre como os mercados irão se comportar. Neste período de reacomodação é imprescindível se preparar tanto para suportar um cenário adverso quanto para aproveitar o máximo possível as oportunidades. E como fazer isso? Planejando!

“Porém, o pequeno e médio empresário, bem como o empreendedor tem que utilizar o seu tempo para focar no seu negócio. É imprescindível que ele tenha um apoio competente nas áreas que não são de sua atuação como gestão, administração e finanças”, ressalta Erick Krulikowski, sócio diretor da iSetor (http://www.isetor.com.br), especializada em gestão estratégica, administrativa e financeira para empreendedores sociais e empresariais.

“Buscamos formas de apoiar os empreendedores na área de gestão estratégica, tática operacional, de forma que eles possam dedicar mais tempo à causa e/ou diretamenteao seu negócio. Por meio de consultorias estratégicas, terceirização (outsourcing) de atividades administrativas e financeiras e outros processos, nosso foco é desenvolver a gestão integral para aumentar seu valor social”, finaliza Krulikowski.

Levantamento sobre Plando Financeito na PME

No inicio de 2014 a iSetor realizou uma pesquisa em parceria com a Rede Mulher Empreendedora para verificar a realidade das Pequenas e Médias empresas em relação ao planejamento financeiro. A pesquisa foi realizada por meio da plataforma do SurveyMonkey e obteve 162 respostas válidas.

Observamos que o percentual de PMEs que não realizam planejamento financeiro é maior do que nas grandes empresas. São 12% das PME’s contra apenas 2,3% das grandes empresas.


Uma outra pesquisa desenvolvida pela Rede Mulher Empreendedora, que estudou um universo de 469 pessoas, apontou que 36,7% das respondentes enfrentam dificuldades em relação ao Planejamento Financeiro.
Perfil da fonte:
Erick Krulikowski ésócio diretor da iSetor. Tem mais de 15 anos de experiência em gestão executiva de projetos e negócios nas áreas da cultura, educação e saúde, com ênfase em planejamento estratégico, administração financeira, captação de recursos e desenvolvimento institucional. Graduado em Música pela Universidade de São Paulo (USP), tem MBA com ênfase em Marketing pela UniversidadLatinoamericana de Ciencia y Tecnologia (San Jose, Costa Rica). Participa do curso de Análise de Empresas e Valor do Programa de Educação Continuada da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP).  Foi gerente administrativo do projeto CIES (Centro de Integração de Educação e Saúde. Atuou como captador de recursos e integrou o Grupo Gestor do Museu da Pessoa, sendo responsável pela estruturação do espaço de atendimento ao público, e coordenador de projetos especiais da Fábrica do Futuro. Trabalhou na La Fabbrica do Brasil como coordenador de projetos junto a clientes como Fiat e Nestlé, quando liderou os projetos “Tesouros do Brasil” e “Um poema chamado Brasil”, este último premiado pela Revista EXAME - Guia da Boa Cidadania Corporativa 2004 - Destaque na categoria Cultura. Articulou projetos junto a instituições como UNESCO, MEC, MinC, UNICEF, Iphan, SEBRAE-MG, Petrobras, Instituto Votorantim e Instituto Camargo Corrêa.
Sobre a iSetor - Empresa focada em outsourcing (terceirização) de serviços administrativos e financeiros, a iSetor(www.isetor.com.br) também presta assessoria e consultoria em gestão integrada de Organizações Não Governamentais (ONGs), Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIPs), Institutos, Fundações, projetos culturais e socioambientais, bem como pequenas e médias empresas privadas que buscam o desenvolvimento sustentável.

Prazo de entrega da DCTF vence nesta sexta-feira, 19

Empresas que perderem o prazo não podem emitir certidão negativa de débitos
Quem deve apresentar

As pessoas jurídicas de direito privado em geral, inclusive as equiparadas, as imunes e as isentas, têm até sexta-feira (19/12) para enviar à Receita Federal a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF) mensal, apurados no mês de outubro de 2014. O documento deve ser apresentado pela matriz, de forma centralizada.
Estão obrigados a entregar a DCTF os consórcios que realizam negócios jurídicos em nome próprio, inclusive na contratação de pessoas jurídicas e físicas, com ou sem vínculo empregatício, bem como as autarquias e fundações instituídas e mantidas pela administração pública e os órgãos públicos dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário que constituam unidades gestoras de orçamento.

Formas de elaboração e de transmissão

A DCTF deverá ser elaborada mediante a utilização de programas geradores de declaração, disponíveis no endereçowww.receita.fazenda.gov.br.
A transmissão do documento deve ser feita por meio do programa Receitanet, também disponível na página da Receita. A apresentação desta declaração exige certificado digital válido.

Cuidado ao preencher a DCTF

De acordo com informações repassadas pela Superintendência Regional da Receita Federal na 2ª Região Fiscal, o responsável pelo preenchimento deve ter atenção redobrada, pois,  o órgão  vem intensificando a aplicação de medidas coercitivas nos  casos de  inserção de dados fictícios ou inverídicos nas DCTFs e em outras declarações, levando o contribuinte a responder, inclusive, criminalmente.

Penalidades para quem perder o prazo de entrega

Quem perder o prazo estará sujeito a uma multa mínima de R$ 200,00 (duzentos reais), tratando-se de inativas, e de R$ 500,00 (quinhentos reais) nos demais casos.
Além da multa, quem não entregar a DCTF ficará com situação fiscal irregular e não poderá emitir certidão negativa de débitos.

Prefeitura de Rio Branco entrega mais 184 títulos definitivos no bairro Nova Estação

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Gestão Urbana (SMDGU) realizou nesta terça-feira, 16 de dezembro, no auditório da SEAPROF, a entrega de 184 títulos definitivos de propriedade aos moradores do bairro Nova Estação. A entrega é resultado de um trabalho que começou em 2013 e alcançou um importante momento no dia 23 de outubro deste ano quando 173 moradores receberam o título definitivo de sua propriedade. Com a entrega desta terça-feira, nada menos que 357 imóveis estão regularizados no bairro Nova Estação.

Com o título definitivo em mãos, o morador pode realizar importantes melhorias em seu imóvel e até conseguir financiamento para reformar e/ou ampliar a sua casa. Os títulos definitivos emitidos pela prefeitura são fruto de um importante diálogo com a comunidade.

A regularização fundiária é um compromisso assumido pelo prefeito Marcus Alexandre. Por isso, ainda no ano passado, ele aprovou uma lei na Câmara isentando as taxas municipais para a regularização de imóveis. Antes, essas taxas chegavam a 30% do valor do imóvel, o que tornava difícil o processo de regularização.

De acordo com o prefeito Marcus Alexandre a meta da gestão é chegar até o final do ano com mais de cinco mil títulos definitivos emitidos. Bairros como o Ivete Vargas, Tancredo Neves, Glória, Aeroporto Velho, Vitória, Bahia Nova e Bahia Velha já foram beneficiados com títulos definitivos de propriedade. Em 2015, a SMDGU entrega a 3ª e última etapa dos títulos do bairro Nova Estação.

13º salário deve ser usado para planejamento financeiro 2015


O ano só acaba em dezembro, no entanto, para que se possa iniciar 2015 com saúde financeira, o planejamento deve ser feito com antecedência. E o 13º salário, cuja segunda parcela deverá ser paga até dia 19 de dezembro, pode  e deve  ser utilizado pensando na realização de sonhos para o ano que vem e não em gastá-lo agora com supérfluos.

Sendo assim, esse é o momento ideal para promover uma “faxina” financeira no orçamento, com o objetivo de diagnosticar a atual situação das contas e decidir o que fazer com o décimo terceiro salário.

Mas, o que fazer com este benefício? O ideal é que esse benefício chegasse como um bônus para realização de satisfações pessoais, como um presente. No entanto, desde 1962, quando foi criado esse benefício extra, muita gente o aguarda ansiosamente para cobrir o desequilíbrio financeiro. Há quem recorra aos bancos que oferecem antecipação desse recurso como uma forma de empréstimo para quitar dívidas ou amenizá-las.

Pagar dívida com o 13º salário é combater o efeito do problema financeiro. Com essa atitude, só estará mascarando o real e verdadeiro problema - a ausência de educação financeira em toda família. O endividamento é um problema que tem de ser resolvido com o próprio salário. Ou seja, com a redução nos gastos. É muito provável que pessoas que estejam nessa situação não estejam respeitando o próprio padrão de vida.

Só sabe quanto pode gastar, sem ficar no vermelho, quem sabe exatamente quanto entra e quanto sai do bolso mensalmente. E, com base nisso, define quanto e com o que pode gastar. Mesmo quando é necessário entrar em um financiamento para a realização de determinados sonhos que não são acessíveis de outra forma, é importante avaliar se as parcelas, de fato, caberão no orçamento, levando em conta todas as outras despesas e demais sonhos de curto, médio e longo prazos.

Portanto, antes de ir compulsivamente às compras de fim de ano, faça um diagnóstico da sua situação financeira. Relacione todas as despesas fixas e variáveis para descobrir o comprometimento dos seus ganhos com as dívidas. Investigue para onde está indo cada centavo dos seus ganhos. Só assim conseguirá saber quais são os gastos supérfluos que podem ser eliminados. Verifique se está endividado, ou seja, se já tem mais despesas do que seu bolso suporta. Certifique-se de que, mesmo estando no azul, de que vai conseguir pagar as compras que pretende fazer nesse final de ano, cujas parcelas que se arrastarão pelo ano seguinte, somando-se aos gastos extras com impostos e escola.

Faça escolhas que estejam dentro do seu padrão de vida. Se as condições não permitem, procure outras opções mais prazerosas e de menor valor. O ideal é não se endividar com compras e viagens de final de ano. Pesquise os melhores preços de presentes e itens da ceia e das festas, e experimente estipular um valor máximo a gastar com cada item e peça desconto, sempre.

Felizmente, nem todos estão endividados. Quem está numa situação mais confortável, de equilíbrio financeiro, mas ainda não tem o hábito de poupar pode aproveitar o décimo terceiro para iniciar uma reserva e manter essa prática de poupar.

Para quem já tem perfil investidor, o décimo terceiro é oportunidade para incrementar o investimento. 50% pode ser destinado para alguma aplicação que a pessoa já possua e outros 50% pode servir para planejar um salto em direção à sua independência financeira, investindo, por exemplo, em previdência privada.

E lembre-se: fim de ano também é tempo de fazer planos para o futuro. Aproveite para reunir a família, inclusive as crianças, para conversar sobre o que querem realizar nos próximos anos. Definam três sonhos prioritários que tenham diferentes prazos a serem realizados - curto (até um ano), médio (até dez anos) e longo (acima de dez anos). Esse será um fator de motivação para ajustar e conduzir o orçamento familiar.

Seja qual for o perfil do leitor, desejo que 2015 seja azul para todos.
 
Reinaldo Domingos é educador e terapeuta financeiro, presidente da DSOP Educação Financeira, Abefin e Editora DSOP, autor do best-seller Terapia Financeira, dos lançamentos Papo Empreendedor e Sabedoria Financeira, entre outras obras.