sábado, 30 de março de 2013

20 requisitos para ser jornalista

Requisitos básicos:

1. Gostar de ler.
2. Ser inquieto e questionador.
3. Não ter medo, vergonha, preguiça.
4. Ter engajamento social (não é a mesma coisa que curtir uma balada, ok?).
5. Ter prazer pelo que faz.

Requisitos desejáveis:

6. Capacidade de levar esporro e engolir o choro.
7. Capacidade de receber o contracheque e engolir o choro.
8. Ter um nível de vaidade moderado.
9. Não se importar em levar uma vida PJ.
10. Domínio de idiomas estrangeiros, afinal a vida real não é uma novela da Glória Perez.

Requisitos que agregam valor, geram diferencial competitivo e outras merdas do gênero:

11. Ter boas sacadas de pauta e de personagens. Incrível, mas pensar é diferencial.
12. Escrever um texto de 20 linhas sem um errinho de Português. Ainda mais incrível.
13. Aproveitar as tecnologias, mas sem ser refém delas.
14. Capacidade de ir para a rua e interagir com seres humanos de verdade.
15. Ser craque em concordância, principalmente concordar com a escala de folgas e plantões.

Requisitos imprescindíveis:

16. Desapego a essa coisa chamada dinheiro.
17. Desapego a família, datas festivas, namoro e churrascos num domingão de sol.
18. Estômago resistente a comida tosca, café por períodos prolongados e falta de comida por períodos prolongados.
19. Ser forte, persistente, guerreiro e... porra, e essas lágrimas? Dá para engolir esse choro?
20. Paciência. Muita paciência.

Essa novinha...


Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito
Mas a outra metade é silêncio.
Que a música que ouço ao longe
Seja linda ainda que tristeza
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade.
Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas
Como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo.
Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço
Que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensado
Porque metade de mim é o que eu penso mas a outra metade é um vulcão.
Que o medo da solidão se afaste, e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável.
Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso
Que eu me lembro de ter dado na infância
Por que metade de mim é a lembrança do que fui
A outra metade eu não sei.
Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
Pra me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço.
Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
Porque metade de mim é platéia
E a outra metade é canção.
E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade também.

Salve Timão!!!

♪Teu passado é uma bandeira,
Teu presente, uma lição
Figuras entre os primeiros
Do nosso esporte bretão♪

Beijaço..

23 de março – São Paulo, SP – Protesto realizado na Avenida Paulista, em São Paulo, pediu a saída do pastor Marco Feliciano (PSC-SP) da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.

quarta-feira, 27 de março de 2013

Meu querido, meu velho e meu amigo


Dia desses estava deitado ao lado de meus pais em sua cama, como todo e bom filho que adora vê televisão no meio dos dois, fui surpreendido pelo meu pai me pedindo desculpas e que gostaria de ter a possibilidade de dá coisas melhores para minha irmã e eu, para que pudéssemos viver só para estudar, ter uma folga de dinheiro no final do mês e que minha mãe não tivesse mais que trabalhar.

Aquilo me tocou muito forte, pois meus pais sempre trabalharam a vida toda, nunca nos deixaram faltar nada  souberam maquiar muito bem os tempos de vacas caquéticas quando tinha meus sete anos. Lembro que passamos baixo nessa época e que muitas vezes eles deixavam de comer para garantir o meu e de minha irmã.

Nada daquilo que ele me disse, me fez pensar na vida agradável que teria e que muitos queriam. Naquele momento só tive a reação de agradecer pelo sentimento e carinho que ele dedicava na sua expressão, mas nada melhor do que fazer algumas revelações a ele.

Decidi rever pra ele que aos 15 anos de idade, fui participar de um encontro de jovens na cidade de Belém, onde consegui negociar preços do hotel mais barato, arrumei quem dividisse a despesa e estava tudo dentro do orçamento apertado que levei para custear tudo isso.

No decorrer do encontro, discuti com o colega de quarto, por discordar das idéias malucas de pegar as meninas por meio da bebia, aquilo me soava como ato extremamente covarde. Resultado, ele levou metade do meu dinheiro e fiquei naquela cidade por quase uma semana. Sem conhecer ninguém e viver no hotel, onde tomava um reforçado café da manhã e as frutas eram meu almoço, a noite gastava o mínimo com as famosas pizzas brotinhos.

O que fazer ali? Chorar e me desesperar ligando pra casa pedindo ajuda e deixando meus pais mais preocupados do que eu? Não. Decidi buscar algo que me rendesse alguns trocados. Estava num hotel bom, onde estava tendo pelo menos cinco eventos. Conversei com as organizações e com o pouco que ainda restava de trocado, comprei uns CDs e fui vender todo o material dos encontros.

Daquele atrevimento consegui pagar o hotel tranqüilo, pude voltar a me alimentar bem e ainda fui conhecer a cidade, que as vésperas de voltar encontrei uma tia que ao me ouvi me deu mais uns trocados. Obrigado Tia Elmira! Voltei pra Rio Branco e nunca tinha falado anda até aquele dia.

Eles me olharam extremante assustados e questionando porque eu não tinha ligado. E ia adiantar preocupar a distância?! Tenho muito orgulho de meus pais que por vezes desistiram de ter dias mais tranqüilos para ajudar parentes que se deram bem na vida e não olharam pra eles com o mesmo carinho. Mas isso mostra que pessoas perseverantes conseguem mudar as suas historias.

Não reclamem de coisas que poderiam ter mudado, aprenda a viver o momento, saiba enxergar as oportunidades. Meus pais me ensinaram a correr atrás, a me virar. Hoje eles voltaram a mexer com salgados, almoços e lanches bem ali pertinho da prefeitura, no antigo Mr. Café. Passe lá e veja essas figuras incríveis que eles são, a dona Maria e o seu Manoel Coelho.

domingo, 24 de março de 2013

Um futuro...


Eu queria ser John Lenon...


Eu queria ser John Lenon um minuto só
Pra ficar no toca- discos e você me ouvir
Eu queria ser aquele espelho do seu quarto
Nele vc sempre olha antes de dormir
Eu queria ser a chuva q molhou seu rosto
Pra saber o gosto q vc sentiu qndo o pingo frio no seu corpo caiu
Eu Queria ser a razão dessa sua alegria
pois até mesmo dormindo o seu nome eu chamo
eu queria ser a verdade dos seu sonhos perdidos
assim eu teria coragem pra dizer que te amo

A vida...


Li esse texto ontem e precisava compartilhar. É de uma pessoa chamada Regina Brett, 90 anos de idade. Muitos já devem conhecer. Não é novo. Espero sinceramente que consigam ler, compreender e refletir sobre essas palavras, guardar no coração, deixar florescer. Ela é a pessoa da foto.


"A vida não é justa, mas ainda é boa.
Quando estiver em dúvida, dê somente o próximo passo, pequeno .
Seu trabalho não cuidará de você quando você ficar doente. Seus amigos e familiares cuidarão. Permaneça em contato.
Pague o total de seus cartões de crédito, nunca o mínimo.
Você não tem que ganhar todas as vezes. Concorde em discordar.
Chore com alguém. Cura melhor do que chorar sozinho.
É bom ficar bravo com Deus, Ele pode suportar isso.
Economize para a aposentadoria começando com seu primeiro salário.
Quanto a chocolate, é inútil resistir.
Faça as pazes com seu passado, assim ele não atrapalha o presente.
Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que é a jornada deles.
Respire fundo. Isso acalma a mente.
Livre-se de qualquer coisa que não seja útil, bonito ou alegre..
Qualquer coisa que não o matar o tornará realmente mais forte.
Quando se trata do que você ama na vida, não aceite um não como resposta.
Use os lençóis bonitos, use roupa chic. Não guarde isto para uma ocasião especial. Hoje é especial.
O órgão sexual mais importante é o cérebro.
Ninguém mais é responsável pela sua felicidade, somente você.
Enquadre todos os assim chamados “desastres” com estas palavras ‘Em cinco anos, isto importará?’
Sempre escolha a vida.
O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo.
Não importa quão boa ou ruim é uma situação, ela mudará.
Não se leve muito a sério. Ninguém faz isso.
Acredite em milagres.
Não faça auditoria na vida. Destaque-se e aproveite-a ao máximo agora.
Envelhecer ganha da alternativa — morrer jovem.
Suas crianças têm apenas uma infância.
Tudo que verdadeiramente importa no final é que você amou.
Saia de casa todos os dias. Os milagres estão esperando em todos os lugares.
Se todos nós colocássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos todos os dos outros como eles são, nós pegaríamos nossos mesmos problemas de volta.
A inveja é uma perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
Acredite, o melhor ainda está por vir.
Não importa como você se sente, levante-se, vista-se bem e apareça.
Produza!
A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente".


quarta-feira, 20 de março de 2013

O dinheiro do meu pai não é capim

Na manhã de ontem, estudantes e representantes do prefeito Marcus  Alexandre foram a sede da Câmara municipal, levar em mãos o pedido de votação urgentíssima do retorno da passagem ao valor de R$ 1 para estudantes.

Isso é uma ação extremamente louvável para todos os usuários de coletivos, pois lembro que isso já era uma luta do professor Roger Corrêa e o vereador Gabriel Forneck na legislatura passada.

Sem falar que foi uma grande consciência vê que a ação foi realizada quando o superintendente da Rbtrans, Ricardo Torres estava presente no parlamento municipal para dá alguns esclarecimentos a respeito do transporte coletivo.

Uma explicação bem detalhada para todos os vereadores e população presente na galeria. A ação da prefeitura em descontar das empresas em debito com o município para agraciar os estudantes caiu como uma luva, pois se ava-liarmos bem, a economia feita pelos usuários beneficiará não somente a ele, mas uma família.

Com essa nova expectativa de economia, acabasse gerando outro fator, que é colocar as pessoas a voltarem a estudar, já que terão uma garantia de economia em sua passagem, pelo período de quatro anos.
Tudo que foi colocado pelo superintendente, foi muito bem colocado, pois que não recorda como era o espaço que atualmente é o nosso terminal urbano?! Como minha avó diria: “um verdadeiro ninho de ratos e uma única mini roda gigante”.

Quem não recorda daquele busão atolado dentro do terminal ou aquela muvuca para entrar e sair dos mesmos no terminal? Ainda bem que isso deu uma mudada. Agora o que precisa ser feito por parte da população também é valorizar aquilo que elas exigiram, como não sujar o espaço publico ou ficar pintando cadeiras, paredes. Se não que razão terão para cobrar algo?

Também foi legal as colocações da vereadora Sinhasique, que questionou pontos bons e certamente dará uma celeridade na rea-lização do contrato de novos fiscais para verificarem as empresas.

Meus cumprimentos ao prefeito, que em ano de vacas bulemicas, conseguiu trazer verbas para melhorias da cidade, seja no setor de transporte, infra estrutura entre outros. O cabra não bate e fofo e não abre a guarda para pressões.

A política municipal está sendo feita corretamente, com dois lados preocupados em atender a população e o papai agradecerá a economia feita no final do mês, já da até pra comprar um sacole. Sabe como é né?!

terça-feira, 12 de março de 2013

Nada Normal


 “Me lembro daquele dia em que nos saímos para paquerar. Sempre algum de nós voltava para casa sozinho... Éramos dois amigos que ninguém destruiria...Muita coisa hoje mudou...Nos distanciamos um pouco... talvez por coisas banais...mas eu ainda lembro. E ainda sinto falta... Talvez no momento de tanta confiança nunca paramos para nos reparar...talvez eu deveria ter-lhe dito á muito tempo!!! Afinal, amigos também dizem : EU TE AMO!”

Isso seria um dialogo entre pessoas que com o passar do tempo, certamente estaria se distanciando e perdendo o contato e outros diriam que é um fator normal que acontece ao se chegar no final de uma etapa da vida de uma pessoa. Pode até ser cedo para falar isso, mas vou acreditar nas palavras de T.M. – “vocês são estranhos e esquisitos” – por sermos tão diferente do restante das pessoas de nossa idade e de nosso ciclo de amizades ou proximidades, somos a prova vida de uma amizade que como em Batman Begins – “O legado dos Wayne vai além de paredes e tijolos – assim somos nós.

Se estamos chegando ao final de uma etapa, certamente ficarão em nossas historias. Sigo acreditando no impossível, mesmo que as circunstâncias não sejam boas, mesmo que tudo pareça complicado. Mesmo que só eu fale, mesmo que só eu veja, mesmo que só eu sinta. Mesmo que, às vezes, nem eu fale, nem eu veja e nem eu sinta. Eu apenas sigo...

Não casei, não tive filho, não publiquei um livro (estou quase...), não sou imortal na Academia Brasileira de Letras, não conheci Paris, nunca vi neve, não terminei de ler os livros do pai do Tiago que ganhei de aniversario, ainda não fiquei rico, não entrei pra história, não ganhei o Nobel da Paz. E são por essas e outras que eu acho que ainda preciso viver muito, muito mais...

Pode ser que tal fato aconteça por influência das pessoas e fatores externos nos afastem, mas tenha a certeza de que te terei no mais alto valor de minha vida, você foi meu pedaço de chão quando precisei. Sempre amarei sua amizade e sentirei falta, porém a vida segue. Saiba que sempre serei grato e estarei aqui.
Sou exagerado quando se trata de você, pois quero só o melhor para você, sempre me esforço ao máximo para te agradar e sempre tenho a ligeira impressão de que nunca consigo.  Te desejo toda a felicidade do mundo e por toda a importância que você tem para mim, espero que encontres alguém que te mereça e saiba dá valor ao presente que ele tem, sempre vou lutar para você e por você para te vê feliz, mesmo que sempre tenha que brigar com você mesma. Até aqui, obrigado por tudo!

domingo, 3 de março de 2013

Ignorância é uma benção


Tenho o habito de avaliar a vida como uma sequência de salas, onde encontramos pessoas que assim como a situações podem ser boas ou ruins. Tem aquelas que te estendem a mão quando você tenta disfarçar uma lagrima, assim como aquela que vai querer pisar em você, pelo simples fato de aparentar está tudo bem na vida.

Na semana passada fui pego de surpresa por uma irresponsabilidade de uma colega de profissão que preferiu mostrar algo que nunca existiu, pelo simples atoismo de fazer uma leitura mais atenciosa. 

Claro que como qualquer pessoa fiquei fulo da vida e ainda sinto a enorme vontade de dizer algumas verdades na frente dela. Mas tudo isso mudou temporariamente, por conta de um fator inesperado, como a falta de preparo de pessoas que deveria ser altamente profissionais e capacitadas a saber lidar com o publico.

Na semana passada, o filho de uma amiga minha foi simplesmente agredido por um motorista de ônibus, auxiliado pelo cobrador. Detalhe que ele é um rapaz de vinte anos e portador de necessidades especiais. Quantos já não passaram por uma agressão verbal? Quantos não foram intimidados pela ausência de uma sensibilidade em saber identificar uma pessoa que apronta, para uma inocente?

A primeira ação de minha amiga é processar a empresa pelo fato de não buscar capacitar seus funcionários, assim como permitir que pessoas que convivem com alto nível de estresse agredissem seu filho. Isso é algo revoltante e tem meu total apoio. Outra colega de profissão teve o carro fechado por um motorista e quando ela foi pedir para que o motorista tivesse atenção, o rapaz só não agrediu fisicamente, devido populares estarem por perto.

Quantos portadores de necessidades, idosos, pessoas comuns e anônimas não passaram por situação semelhante? Caberá a nossas autoridades tomarem alguma providência sobre a exigência de qualificação desses que deveriam ser chamados de profissionais. Assunto esse que foi até tema de debate apresentado na câmara municipal de Rio Branco pelos vereadores do PSB.

Se esse motorista e o cobrador tivesse uma sensibilidade maior, teriam identificado que o rapaz tem necessidades, e não precisariam ter dado uma gravata, esmurrado seu rosto, jogando-o do veiculo e atirando o seu aparelho celular para agredi-lo como uma assinatura de que são intolerantes.

Em breve haverá uma manifestação de pessoas que passaram por esse momento desagradável. Agora é poder publico como MPE e políticos sentarem para exigir das empresas um aprendizado melhor para essas pessoas brutas. Não são todos, mas um grupo acaba prejudicando a todos. Vamos ter mais atitude e menos discurso!