MPAC consegue condenação de mais de 65 anos a maníaco do carro preto

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) conseguiu a condenação de Márcio da Silva Rodrigues, o maníaco do carro preto, a 65 anos, 11 meses e 15 dias de reclusão em regime fechado. O maníaco é acusado de praticar 11 crimes sexuais contra crianças e adolescentes em Rio Branco. Na época, as vítimas tinham entre 5 e 11 anos de idade. Os crimes ocorreram de abril a setembro de 2014.

A denúncia foi feita pelo promotor de Justiça Mariano Jeorge, que acusou Márcio pelos crimes de estupro de vulnerável consumado (5 vítimas), estupro de vulnerável tentado (3 vítimas) e sequestro de menor de idade com fins libidinosos consumados (3 vítimas).

O réu ficou conhecido como maníaco do carro preto devido ao corsa de cor preta que ele usava para praticar os crimes. Costumava agir sempre da mesma forma, abordava as crianças nas ruas de bairros periféricos, como Ouricuri e Mocinha Magalhães, com promessa de dar dinheiro, e as levava a lugares isolados.

“Ele atraia as vítimas com promessa de entregar dinheiro para a mãe ou avó da criança. Ele pedia para as vítimas entrarem no carro para ensinar o endereço. Daí, ele as levava para outro local e, lá, dentro do carro mesmo, violentava as crianças”, revela Mariano Jeorge.

Em Rio Branco, a investigação foi desencadeada pela prisão em flagrante do réu na comarca de Bujari, onde vitimou uma criança.
“Com a prisão em flagrante no Bujari, a polícia descobriu que ele também havia praticado mais onze crimes na cidade de Rio Branco. Todas as vítimas o reconheceram, tanto em sede policial, quanto em juízo”, revela o promotor.

Na comarca do Bujari, o réu também foi condenado a 4 anos e 4 meses de reclusão em regime fechado, o que implica em uma pena de mais de 70 anos no total.

Texto: André Ricardo

Comentários